O Elves das telas

Revista Imprensa – Setembro/2009

O Elves das telas por Fernanda Patrocínio

Camisa verde, calça jeans e sapatos marrons. O rapaz alto e magro se acomoda na cadeira giratória. Nenhuma semelhança com o rei do rock além do nome: “Foi uma homenagem da minha mãe a Elvis Presley, mas com um toque brasileiro”.

O webdesigner de 23 anos foi monitor dos laboratórios de redação e usou os conhecimentos de Photoshop para criar o layout do papel de parede utilizado atualmente em todos os computadores da Faculdade Cásper Líbero. Sim, é dele o “Elves Sousa” que aparece nas telas. Não chega a ser uma estrela, mas a fama do estagiário da FCL Net nos corredores da faculdade é inegável.

Paulistano, Elves é filho único e está no sexto semestre da graduação em Desenho Industrial no Mackenzie, faculdade historicamente “rival” da Cásper Líbero. “Claro que já fizeram piada sobre isso; então nem toco no assunto!”, confessa, rindo. Ele trabalha na manutenção do site da Fundação.

Sobre o nome internacionalmente famoso, Elves diz que ele é bom para “quebrar o gelo” quando encontra pessoas. “Pedem pra eu cantar um rock”, diz.

E continua: “Mas confesso que às vezes cansa. Dá vontade de dizer que Elvis não morreu, mas que a piada já devia ter morrido”. Os pedidos de “canja” podem ser atendidos – “Até que sou afinado” – mas se pedirem pra ele fazer uns rodopios, Elves dá um jeito de recusar. “É meio paradoxal ter o nome do rei do rock e não saber dançar, não é?”

Revista Imprensa, artigo “O Elves das Telas”, setembro 2009 –>